Quem sou eu?

Minha foto
Belo Horizonte, Minas gerais, Brazil
"Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos." (Saint-Exupéry) Uma pessoa comum, fora do normal. Sou mais do que as pessoas pensão e menos que elas esperam. Posso ser um rei, um carrasco, mendigo. Mas sou apenas eu mesmo, sem muita coisa, apenas o bastante pra cativar as raposas ao meu redor, e me permitir ser cativa-do pela mesma.

A força da natureza

Olhando pro céu, começo a reparar que há muito tempo não via a lua tão linda, afinal há muito tempo que mal via ela. A rotina não me deixava reparar nas melhores coisas do mundo, já não sentia mais a brisa tocar meu rosto, não ouvia mais o canto dos pássaros. Senti muita falta de tudo isso, mas não vamos colocar a culpa só na rotina, ela não trabalhou sozinha, como olhar pra cima se o que vejo são prédios mais e mais altos? Eles impedem o vento de circular livremente e ocupa os lugares de árvores onde os pássaros deviam estar, cada segundo tem menos e menos.

Mas com muito custo achei um lugar adorável pra ficar, olho pra todos os lados e não vejo ninguém, grama bem baixa e confortável por todos os cantos, as pedras grandes da um clima de deserto, consigo ouvir o vento e com ele todos os outros animais. Com tanta paz e sossego, fecho meus olhos e tento esquecer o resto do mundo.

No meio disso tudo começo a sonhar, ou melhor, ter pesadelos, vejo o homem destruir tudo que vê pela frente, pra construir fabricas, usinas, prédios, ruas. Vejo-os acabar com animais só por pura vaidade e ainda desfilar com o couro deles achando a coisa mais bonita do mundo. Mas o pior é vê-los matarem a si mesmo, com brigas inúteis, discussões desnecessárias.

Nesse sonho louco, vejo ventos forte vindos pra tomar o lugar que de direito é seu, mas o pior de tudo que ele esta certo, mas agora o lugar que era dele existe milhões e milhões de pessoas e ele é bravo pra defender o seu espaço, vejo casas destruídas, pessoas mortas, lugares totalmente irreconhecíveis. Mas olhe não esta sozinho, sua irmã água também resolve tomar posse do que é dela, vem com toda fúria destruir tudo aquilo que foi construído sem a sua permissão, é muito triste ver que ela não tem piedade limpa o lugar em uma velocidade, leva tudo que esta na frente, derruba prédios enormes, acaba com ruas, famílias, lares e o pior vidas. Mas quem é você pra reclamar do vento ou da água? Ninguém pensa nos danos que causaram, quando começaram a destruir as árvores, os pastos, as matas, os animais, a natureza em geral. Estavam todos concentrados em “evoluir” a qualquer custo, quanto mais empresas melhor, quanto maior a casa melhor, mais e mais poluição. O equilíbrio e respeito foram rompidos, não existe certo ou errado, apenas consequências.

Acordo assustado, o coração pulando da boca, a respiração descontrolada, um medo de tudo aquilo que sonhei, mas olhei ao meu redor e não vi nada daquilo, apenas a paz naquele lugar maravilhoso, me acalmo e volto pra casa, mais tranquilo tomo um banho rápido e resolvo ver televisão, as lágrimas me ardem os olhos, não era sonho. Veja ali crianças, velhos, adolescentes todos mortos pela fúria da água, famílias sem casa, pessoas que não sabem mais o que fazer, pois o pouco que lhe sobravam foi embora naquela tragédia, melhor não ver isso, troco de canal, mas que lugar destruído é este? Foi o vento que passo por aqui, furacões sem piedade. O pior é ver os caixões brancos nos braços de alguém da família, crianças que nem mesmo sabiam o que é viver perderam a vida por negligência do próprio ser humano, que não sabem respeitar e dar valor ao que tem nas mãos, por que destruir a natureza se pode muito bem conviver junto dela, em harmonia, encontrar um ponto de equilíbrio onde nenhuma das duas parte iriam sair perdendo, uma união onde um estaria sempre ajudando o outro, pois bem a vida continua destruída ou não. Mas será que com tudo isso o ser humano vai aprender que nem tudo que quer pode ter? E se não souber respeitar a natureza a tendência é sempre piorar.  Vamos ver o que vem por ai, por que o que passou acabou deixando coisas terríveis, que será muito difícil de esquecer, e mesmo assim os humanos não aprendem.

14 comentários:

  1. O pior de tudo é pensar que esse sonho que você teve, foi a realidade de muita gente. =/
    Mas ficou muito bom teu texto...
    A natureza é nossa amiga, porem se pisar no calo dela, ela pode se tornar nossa pior inimiga.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. excelente texto, eu acho que as pessoas um dia aprendem a respeitar a natureza.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. a natureza so quer o que é dela por direito

    ResponderExcluir
  4. ^^ seus textos cada vez melhores. a natureza é assim. viva a sui generis. é fogo, agua, terra e vento e vai ser sempre assim. que não a respeita nao pode esperar piedade, mas ela tambem é branda, tenra, nos oferta as mais belas flores, a mais doce brisa e o conforto do sal da manha. ame-a para ser amado por ela, respeite-a para ser respeitado por ela. continua assim, desenvolvendo seus textos cada vez mais, estão cada vez melhores. ^^

    ResponderExcluir
  5. O Homem é o Lobo do Homem meu caro.

    Nós temos que nos adaptar a natureza e não o contrário.

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Texto muito bem estruturado! E isso é , vamos ver o que vem por aí, se continuar, infelizmente tende a piorar :S

    http://descubraaaa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. o homem erra pq se acha o centro de tudo e na realidade ele faz parte da natureza!

    retribuindo a visita ao meu blog!

    http://seenovidadeeuquero.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Pois é meu caro, teu texto me fez lembrar uma vinheta antiga da globo que passava no intervalo dos filmes, era mais ou menos assim: uma mulher jogava seu lixo no ria que passava em frene à sua casa, de repente a chuva vinha e jogava sobre sua residência todos os seus dejetos, numa espécie de devolução... Somos vítimas de nossos proprios erros e de nossa ganância e ignorância. Sobre o assunto lhe recomendo o filme "Sonhos de Akira Kurosawa". Abç
    .
    http://sublimeirrealidade.blogspot.com/2011/01/babel.html

    ResponderExcluir
  9. Pelo visto, você sabe mais do que sabe que sabe.

    Agradeço o ótimo comentário lá no meu Blog.

    Seguindo.

    http://francorebel.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. É deprimente saber que esse sonho não é apenas um sonho mas sim o pesadelo real de muita gente que vê na fúria das águas um fim para tudo o que foi construído em suas vidas. Cada tijolo cimentado pelo suor ou cada vida ceifada e levada pelas correntezas. A tragédia realmente não tem fim quando chega a hora do homem plantar o que colheu durante esses ano de destruição e desrespeito com a mãe natureza.

    ResponderExcluir
  11. Faço das palavras do Jão minhas.Quem sabe caiba retrocesso, não é? Adoro as reflexões que você propoe. É sempre uma delicia te ler.

    ResponderExcluir
  12. Realmente o homem ta destruindo o que temos de melhor , tudo tão maravilhoso. A natureza tinha que se torna itocável , as vezes somos injustos com ela . esse e o momento que ela vem to toda fúria do mundo . texto muito bom parábens .

    ResponderExcluir